TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem-vinda(o) à MarMel visualARTS do premiado artista Ton MarMel que desde infante manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, participou de dezenas de salões, exposições no Brasil e exterior, é Doutor em Direito Público que tem a missão de oferecer conhecimento, obras e serviços de excelência com criatividade, segurança e eficiência. 


SEGUIDORES DE MARMEL

TOTAL DE VISITANTES

DESTAQUE

CARTA ABERTA A EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL SOBRE A SITUAÇÃO DA ARTE E DO ARTISTA BRASILEIROS - http://marmel-ton-marmel.blogspot.com/2011/09/carta-aberta-excelentissima-senhora.html
- "NÓS,BRINQUEDOS" - Conjunto de mais de 600 TELAS executadas em técnicas diversas, distribuído em 4 Volumes, acompanhado de TEXTO-TESE indicativo que pode ser lido integralmente neste link de postagem anterior http://marmel-ton-marmel.blogspot.com/2011/05/nos-brinquedos.html#links - "NÓS, BRINQUEDOS: porque desde a infância somos nossos próprios brinquedos, realizações, sonhos, projetos, inventos, alegrias e decepções." (MarMel) - "Ninguém te sacudiu pelos ombros quando ainda era tempo. Agora, a argila de que

quarta-feira, julho 29, 2015

SONHOS

Ele era um jovem que morava no Centro-Oeste dos Estados Unidos. Por ser filho de um domador de cavalos, tinha uma vida quase nômade, mas desejava estudar. Perseguia o ideal da cultura. Dormia nas estrebarias, trabalhava os animais fogosos e nos intervalos, à noite, ele procurava a escola para iluminar sua inteligência.

(ARQUITETANDO. Trabalho confeccionado em técnica mista pertencente ao Volume  4 - O Segredo Conhecido - da série Nós, Brinquedos, de autoria de Ton MarMel)


Em uma dessas escolas, certa vez, o professor pediu à classe que cada aluno relatasse o seu sonho. O que desejariam para suas vidas.

O jovem, tomado de entusiasmo, escreveu sete páginas. Desejava, no futuro, possuir uma área de 80 hectares e morar numa enorme casa de 400 metros quadrados, Desejava ter uma família muita bem constituída.

Tão entusiasmado estava que não somente descreveu, mas, desenhou como ele sonhava a casa, as cocheiras, os currais, o pomar. Tudo nos mínimos detalhes. Quando entregou o trabalho ficou esperando, ansioso, as palavras de elogio do seu mestre.

Contudo, três dias depois, o trabalho lhe foi devolvido com uma nota sofrível Depois da aula o professor o procurou e lhe falou:
- O seu é um sonho absurdo. Imagine, você é filho de um domador de cavalos. Será um simples domador de cavalos. Escreva sobre um sonho que possa se tornar realidade e eu lhe darei uma nota melhor.

O jovem foi para casa muito triste e contou ao pai o que havia acontecido. Depois de ouvi-lo, com calma, o pai lhe afirmou:
- O sonho é seu meu filho, faça o que quiser... essa decisão é sua. Persistir neste sonho ou procurar outro.

O jovem meditou e no dia seguinte entregou as mesmas páginas ao professor. Disse-lhe que ficaria com a nota ruim, mas não abandonaria seu sonho.

(VIDA PRIVADA. Trabalho confeccionado em técnica mista pertencente ao Volume 1 - Poeira em Alto Mar - da série Nós, Brinquedos, de autoria de Ton MarMel)


Esta história foi contada para várias crianças pelo dono de um rancho de 80 hectares, uma enorme casa de 400 metros quadrados e uma família muito bem constituída, próximo de um colégio famoso dos Estados Unidos, o qual empresta para crianças pobres passarem os fins de semana.

Depois de terminar a história, o dono do rancho se revelou ser o jovem que teve a nota ruim, mas não desistiu do seu sonho. E o mais incrível é que depois de 30 anos o professor daquelas crianças tem visitado, com seus alunos, aquela área especial. Um dia se apresentou, por ter identificado no proprietário o antigo aluno, e confessou:
- Fico feliz que o seu sonho tenha escapado da minha inveja. Naquela época, eu era um atormentado. Tinha inveja das pessoas sonhadoras. Destruí muitas vidas. Roubei o sonho de muitos jovens idealistas. Graças a Deus não consegui destruir o seu sonho, que faz bem a tantas vidas.

Como é bonito ter sonhos... Sonhar é da natureza humana. Tudo que existe no mundo, um dia foi elaborado, pensado e meditado por alguém, antes de ser concretizado em cimento, mármore, madeira ou papel foi um solho!!!


Então, se você tem a capacidade de sonhar o bem, persista na ideia e a concretize. Podem ser necessários anos para que se concretize um sonho, mas, um dia, ele se realizará. E o que são alguns anos em face da eternidade que aguarda o espírito imortal da pessoa que sonha?






segunda-feira, julho 27, 2015

SER NEURÓTICO É...

Sonhar colorido e viver em preto-e-branco.
Desejar de acordo com os mais lindos sonhos e agir em função dos piores pesadelos.
Esperar que os resultados sejam diferentes, fazendo tudo exatamente como antes.
Continuar cometendo os mesmos erros, por medo de cometer erros novos.
Lutar desesperadamente para mudar... OS OUTROS!

(COMPOSIÇÃO. Trabalho pertencente ao volume 2 da Séria Nós, Brinquedos (As tranças do careca), de autoria de Ton MarMel)



Preferir um inferno conhecido a um céu duvidoso.
Sentir-se ameaçado por tudo que contraria o seu modo de ser e os seus pontos de vista.
Ruminar velhas angústias e preocupações, em vez de buscar um jeito definitivo de se livrar delas.
Deixar de fazer o que pode, por não poder fazer tudo que gostaria.
Enxergar apenas o próprio umbigo, só admitindo como verdade o que estiver de acordo
às próprias crenças e convicções.
Procurar a felicidade, fazendo tudo para ser infeliz.
Abrir mão de viver o presente em nome do que já passou ou do que ainda não veio.
Odiar o fracasso e morrer de vergonha de fazer sucesso.

Deixar que façam por você o que só você pode fazer.




quinta-feira, julho 23, 2015

O PODER VERDADEIRO

Era uma vez um guerreiro famoso por sua invencibilidade na guerra. Era um homem extremamente cruel e, por isso, temido por todos. Quando ele se aproximava de uma aldeia os moradores saiam correndo para as montanhas, onde se escondiam do malvado guerreiro.


(DUAS PETECAS. Trabalho pertencente ao Volume 2 - As Tranças do Careca - da série Nós, Brinquedos, produzido através de  técnicas diversas, de autoria de Ton MarMel)

Certo dia, alguém o viu aproximar-se com seu poderoso exército de uma pequena aldeia onde viviam alguns agricultores e, dentre eles, havia um velhinho muito sábio. Quando o pessoal escutou a terrível notícia da aproximação do guerreiro perverso tratou de juntar o que podia e fugir rapidamente para as montanhas, e só o velhinho ficou para trás, pois ele mal podia andar e não podia fugir correndo.

Então, o guerreiro entrou na aldeia e foi cruel; foi logo incendiando as casas e matando alguns animais soltos pelas ruas até que chegou à casa do velhinho, e este quando viu o velhinho assustou-se, pois todos haviam fugido, menos o velhinho indefeso! E, sem piedade, o guerreiro foi logo dizendo ao velhinho que seus dias haviam chegado ao fim, mas que lhe concederia um último desejo antes de passá-lo pelo fio de sua espada.

Assim, ouvindo essas ameaçadoras palavras, o velhinho pensou um pouco e pediu ao guerreiro assustador que fosse com ele até o bosque e que ali cortasse um simples galho de uma árvore.

E achando tudo aquilo uma besteira o guerreiro disse:

- “Esse velho deve estar gagá. Que último desejo mais besta!".

Entretanto, pensando no pedido do velhinho, o guerreiro disse para si mesmo que se esse era o último desejo do velhinho havia que lhes atender. E lá foi o velhinho e o guerreiro acompanhado de sua espada até o bosque.

Chegando ao bosque o guerreiro cortou um galho de uma árvore e quando o galho cortado bateu no chão o velhinho comentou:

- "Muito bem! O senhor cortou o galho da árvore, agora, por favor, coloque esse galho na árvore, outra vez!"

Então, o guerreiro deu uma grande gargalhada e foi logo dizendo que o velhinho devia estar louco, pois todo mundo sabe que isso já não é mais possível (colocar o galho cortado na árvore, outra vez). Ao que o velhinho lhe respondeu:



- "Louco é você que pensa que tem poder só porque destrói as coisas e mata as pessoas que encontra pela frente. Quem só sabe destruir e matar não tem poder, pois matar e destruir são as coisas mais fáceis que existem. Mas, quem tem o verdadeiro poder é a pessoa que sabe juntar, que sabe unir o que foi separado, que faz reviver o que parece morto. Essa pessoa, sim, tem verdadeiro poder".





quarta-feira, julho 22, 2015

PESSOAS QUE FAZEM A DIFERENÇA

Teste-se respondendo a estas perguntas:

1- Diga o nome das cinco pessoas mais ricas do mundo.
2- Diga o nome dos últimos cinco vencedores do Prêmio Heisman.
3- Diga o nome das últimas cinco Misses Universo.
4- Dê 10 nomes de pessoas que ganharam o Prêmio Nobel ou o Pulitzer.
5- Dê o nome dos últimos 12 ganhadores do Oscar de melhor ator ou atriz.

Como foi?

(ABRAÇO DE QUEM IMPORTA. Composição em técnica mista de autoria de Ton MarMel. Trabalho pertencente a série Nós, Brinquedos)


A questão é que a maioria de nós não se lembra das manchetes de ontem. Os nomes perguntados acima não são de pessoas medíocres, e sim dos melhores em suas áreas. Mas o aplauso morre, os prêmios envelhecem, empreendimentos são esquecidos. Certificados e diplomas são enterrados com seus donos.

Tente este outro teste e veja como se sai:

1- Liste alguns professores que o auxiliaram em sua jornada escolar.
2- Lembre de três amigos que ajudaram você em momentos difíceis.
3- Pense em cinco pessoas que lhe ensinaram alguma coisa valiosa.
4- Pense em algumas pessoas que fizeram você se sentir amado e especial.
5- Pense em cinco pessoas com quem você gosta de estar.
6- Liste seis heróis cujas histórias tenham inspirado você.

Mais fácil?


Moral da história: as pessoas que fazem diferença na sua vida não são as que têm mais credenciais, dinheiro e prêmios. São as que se importam com você!







sábado, julho 18, 2015

MÁSCARAS (AutoRetratos)

Não se deixe enganar por mim. Não se engane com a máscara que eu uso. Pois, eu uso mil máscaras, que tenho  medo de tirar, e nenhuma sou eu. Fingir é uma arte que se tornou uma segunda natureza para mim, não se engane.


(MÁSCARAS (AutoRetratos). Pintura pertencente à série Nós, Brinquedos, composta de mais de 600 obras. Técnica mista. Autor: Ton MarMel)

Eu dou a impressão de que sou seguro, de que tudo está bem e em paz comigo, que meu nome é confiança e tranquilidade é meu lema, que as águas estão calmas e que estou no comando sem precisar de ninguém.

Mas não acredite nisso tudo, por favor.

A minha aparência é tranquila, mas é apenas uma aparência. É uma máscara superficial, máscara que sempre varia e esconde algo. Por baixo dela não há tranquilidade, nem complacência. Por baixo dela está o meu real, em confusão, medo e abandono. Mas eu oculto tudo isso, pois não quero que ninguém o veja. Fico em pânico ante a possibilidade de que minha fraqueza fique exposta, e é por isso que crio máscaras atrás das quais me escondo, com a fachada de quem não se deixa tocar, para me ocultar do olhar que sabe. Mas esse olhar é justamente a minha salvação. Minha única salvação e eu sei disso. É a única coisa que pode me libertar de mim mesmo, dos muros da prisão que eu mesmo levantei, das barreiras que eu mesmo, tão dolorosamente, construí. Mas não digo nada disso a você. Não ousarei. Tenho medo.

Tenho medo de que seu olhar não seja acompanhado de amor e aceitação. Tenho medo de que você me menospreze, que ria de mim, ferindo-me. Tenho medo de que, lá dentro, no interior de mim mesmo, eu não valha nada; de que você acabe vendo e me rejeitando. Então continuo a viver meus jogos, meus jogos de fingimento, com a fachada de segurança por fora e sendo uma criança tremendo por dentro. Com um desfile de máscaras, todas vazias, minha vida se torna um campo de batalha.

Eu converso com você uma conversa inútil e superficial. Digo a você tudo que não tem a menor importância e calo o que arde dentro de mim. De forma que não se deixe enganar por essa rotina. Por favor, escute atentamente e procure ouvir o que eu não estou dizendo e que gostaria de dizer o que eu preciso, mas não sou capaz de dizer.

Eu não gosto de me esconder, honestamente, não gosto. Tampouco, gosto de jogos tolos e superficiais que faço. Gostaria mesmo era de ser ingênuo, espontâneo, eu mesmo, e você tem de me ajudar. Você tem de me ajudar, segurando minha mão, mesmo quando esta seja a última coisa que eu aparente necessitar. Cada vez que você é atencioso e encorajador, cada vez que você tenta compreender, procurando me ajudar, um par de asas nasce no meu coração. Asas pequenas e frágeis, mas asas. Com sua sensibilidade, seu afeto e sua compreensão, eu me torno capaz. Você me transmite vida. Não vai ser fácil para você.

A ideia de que eu não valho nada vem de muito e criou muros fortes. Mas o amor é mais forte que os muros. Com mãos fortes, mas gentis, ampare-me. Pois uma criança é muito sensível e eu sou uma criança.


E, agora, você poderia perguntar quem sou eu. Eu sou uma pessoa que você conhece muito bem, porque eu sou todo homem, toda mulher, toda criança... todo ser humano que você encontra.


..................................................

Na profundeza do seu ser está o seu desejo. No seu desejo está a sua vontade. Na sua vontade estão os seus atos. Nos seus atos está o seu destino. (Ton MarMel).







LEMBRANDO CHARGES

Lembrando dos tempos de adolescente em que desenhei algumas charges para jornal.


(Tempos de chargista. Um bom exercício para criatividade. Ton MarMel)


(Moça, namora comigo! Esse teu namorado, aí, é bonito! Certeza que ele consegue achar outra... Eu, não!).




quarta-feira, julho 08, 2015

TEMPOS MODERNOS?!

PLANALTO APAGA POST QUE RELACIONAVA MEDIDA TRABALHISTA A "TEMPOS MODERNOS" - Publicação causou revolta entre internautas, que criticaram a associação entre a imagem e o programa anunciado nesta semana pelo Planalto.


A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) apagou nesta quarta-feira (8/7) uma publicação na rede social Facebook com imagem do filme "Tempos Modernos", de Charles Chaplin, que havia sido usada para fazer propaganda dos benefícios do recém-lançado Programa de Proteção ao Emprego (PPE). O clássico de Chaplin, lançado em 1936, é uma crítica às péssimas condições de trabalho em meio a um sistema industrial cada vez mais opressor e desumano.

Procurada pela reportagem, a Secom informou que o conteúdo foi retirado do ar por "inadequação ao conteúdo pretendido". A publicação, de acordo com o governo, "visava destacar a ação do governo, construída em parceria com empresas e sindicatos, para assegurar o emprego de trabalhadores em momento de dificuldades temporárias", justificou a secretaria.
A imagem, postada na terça-feira (7/7) na conta do Planalto no Facebook, mostrava Chaplin numa das cenas mais emblemáticas de "Tempos Modernos", com o corpo curvado, operando uma máquina. "Jornada de trabalho menor... e meu emprego garantido!", dizia a legenda que acompanhava a foto.
A publicação causou revolta entre internautas, que criticaram a associação entre a imagem e o programa anunciado nesta semana pelo Planalto. "Nossa, que infelicidade no uso da imagem. Chaplin fazia uma crítica à alienação e à exploração do trabalhador industrial e o Poder Executivo, durante o ajuste fiscal, executou manobras para reduzir os direitos trabalhistas! Caramba! Foi péssimo", escreveu um internauta.
Instrumento
Ao participar do programa de rádio 'Bom Dia, Ministro', o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, disse na manhã desta quarta, 8, que o Programa de Proteção ao Emprego é um "instrumento" para a manutenção de vagas em um momento de redução na taxa de crescimento da economia.
"O quadro que queremos evitar é demissões. Há um esforço muito grande no sentido de sairmos rapidamente desse período de transição, de ajuste da economia, infelizmente ainda continuamos com cenários difíceis no Brasil. Preservar emprego é tudo o que queremos", afirmou Rossetto.
O PPE está previsto em Medida Provisória assinada na última segunda-feira (6/7) pela presidente Dilma Rousseff. O programa permite a redução da jornada de trabalho e dos salários dos empregados na indústria em até 30% em tempos de crise ou de queda expressiva de produção. Para o empregado, o salário será cortado em até 15%, mas haverá complementação do valor com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

(Fonte: Correio Braziliense - http://www.correiobraziliense.com.br/…/planalto-apaga-post-…